DIAGNÓSTICO ULTRASSONOGRÁFICO DE CORPO ESTRANHO EM CÃES – RELATO DE CASO

  • Taciane Beatriz Muller Franqui
  • Carlos Henrique do Amaral

Resumo

Corpos estranhos gastrointestinais são quaisquer objetos ingeridos pelo animal que, ou são
digeridos muito lentamente ou não podem ser digeridos (Hedlund e Fossum, 2008). O vômito de
alimentos e/ou bile é comum, mas alguns animais podem apresentar apenas anorexia e apatia
(Willard, 2010), podendo ainda apresentar distensão gástrica e/ou irritação da mucosa (Fossum,
2005) e ainda considerados urgências, devido a probabilidade de ruptura intestinal (Brentano, 2010).
O diagnóstico pode ser realizado por meio da radiografia e ultrassonografia abdominal (Willard,
2010). Quando se utiliza radiografia simples é possível observar a presença de objetos radiopacos
nas porções distintas do trato digestório (Bresciani, 1999). Na ultrassonografia, qualquer corpo
estranho apresenta-se como uma imagem hiperecóica, com ou sem sinais indiretos, representados
por um halo hipoecóico e/ou sombra acústica. A presença de um dos dois sinais indiretos aumenta
a sensibilidade do exame para detecção do corpo estranho (Jacobson, 1998). O objetivo principal
deste relato foi confirmar a eficácia dos métodos de diagnóstico por imagem em casos de corpos
estranhos.

Publicado
2018-10-09