TAXA DE PRENHEZ DE EMBRIÕES FRESCOS OU CONGELADOS DE ANGUS E BRANGUS TRANSFERIDOS PARA RECEPTORAS BOVINAS

  • Hellen Braga
  • Lucélia Ferreira do Nascimento
  • Marcelo Zoccolaro Costa
  • Liédge Camila Simioni Felício
  • João Filipi Scheffer Pereira

Resumo

A biotécnica de Transferência de Embriões (TE) possibilita que embriões de fêmeas
geneticamente superiores produzidos pela técnica in vivo de superovulação ou in vitro através da
produção in vitro de embriões, sejam gestados por receptoras de baixo valor genético promovendo
a multiplicação da progênie e acelerando o ganho genético dos rebanhos. O sucesso da TE é
dependente das taxas de prenhez das receptoras, podendo variar de acordo com o estágio do
embrião, que pode ser transferido a fresco ou congelado para posterior transferência (Peres, 2014).
O objetivo deste trabalho foi avaliar o índice de prenhez em receptoras que receberam a transferência
de embriões frescos ou congelados em tempo fixo, das raças Angus e Brangus.

Publicado
2018-10-09