SARCOMA HISTIOCÍTICO HEMOFAGOCÍTICO EM UM CÃO – RELATO DE CASO

  • Viviane Aparecida Cherpinsk
  • Ariane Decker Gonçalves
  • Fernanda Viriatto
  • Ana Laura D’Amico Fam

Resumo

O sarcoma histiocítico (SH) é subdividido em localizado, disseminado e hemofagocítico, sendo
este último de difícil diagnóstico, pois se trata de uma neoplasia rara, de rápido desenvolvimento
e etiologia desconhecida (Moore, 2008). É uma neoplasia pouco relatada na Medicina Veterinária,
sendo descrito principalmente em cães (Fighera, 2014). O sarcoma histiocítico hemofagocítico
(SHH) é um tipo de neoplasia incomum de medula óssea, classificada como não leucêmica e com
capacidade de realizar metástase (Foale, 2010). Ele ocorre a partir da transformação neoplásica de
células dendríticas ou macrófagos e pode ocorrer como forma cutânea ou sistêmica (Thamm, 2013). A
forma cutânea possui caráter benigno enquanto a forma sistêmica é de caráter maligno, caracterizada
pela presença de infiltrados histiocítico em diversas regiões, causando sinais clínicos relacionados
ao órgão afetado (Withrow, 2013). Segundo Affolter (2002) e Pinard (2006), na citologia é possível
observar células redondas com grande variação na relação entre o núcleo e o citoplasma, no tamanho
celular, no tamanho nuclear e alto pleomorfismo. Seu citoplasma é basofílico e pode conter múltiplos
vacúolos uma vez que possui comportamento fagocítico. Frequentemente o citoplasma apresenta
hemosiderina ou eritrócitos fagocitados (Moore, 2008). Inicialmente, o SHH costuma envolver baço
e medula óssea, posteriormente afetando o fígado, linfonodos e pulmões, com a única exceção
observada no cérebro (Afolter, 2002). Como sinais clínicos, observam-se letargia, inapetência, perda
de peso e mucosas pálidas. A ultrassonografia abdominal pode encontrar hepato e esplenomegalia
e, nos exames laboratoriais, linfopenia e anemia normocítica normocrômica (Friedrichs, 2008). Para
diagnóstico utiliza-se análise citológica ou histopatológica (Pinard, 2006). Não há um tratamento eficaz,
sendo tratada com imunossupressores que nem sempre surtem efeitos. Outros fármacos podem ser
utilizados, porém ocorre recidiva frequente e a progressão da neoplasia se torna crescente, sendo a
eutanásia a principal indicação para estes casos (Thamm, 2013). O objetivo do presente estudo é relatar
um caso de sarcoma histiocítico hemofagocítico canino em um cão com suspeita de erlichiose.

Publicado
2018-10-09