Estruturas com ter e haver em Historia da prouincia Sãcta Cruz, de Pero de Magalhães Gândavo

  • Solange Mendes Oliveira

Resumo

Neste estudo, descrevem-se e analisam-se os empregos qualitativo e quantitativo das formas verbais ter e haver
no texto escrito em 1576 pelo historiador, gramático e cronista português Pero de Magalhães Gândavo, autor
da primeira história do Brasil, a História da Província de Santa Cruz, com o objetivo de verificar se em um gênero
textual que espelha a norma padrão vigente no século XVI, como o texto em questão, há variação no emprego
dos verbos ter e haver. Para isso, focaliza-se o aspecto sintático-semântico dessas formas nas estruturas em que ter
e haver atuam como verbos plenos, como verbos existenciais/funcionais, como verbos-suporte e como verbos
auxiliares, como, também, procuram-se mapear os contextos que contribuíram para a alternância dessas formas.
Com a descrição e a análise dos dados coletados, pretendem-se ampliar as informações sobre as inter-relações
sintático-semânticas entre ter e haver no século XVI, aspectos ainda pouco explorados nos estudos sobre o
português quinhentista, como, também, ampliar as informações sobre a mudança linguística diacrônica ocorrida
na língua portuguesa, especificamente, quanto à gramaticalização desses verbos em sua variante culta.

Publicado
2018-06-14