O exercício do poder na política internacional: contraponto entre as perspectivas de Hans Morgenthau e Immanuel Wallerstein

  • Alexsandro Eugênio Pereira

Resumo

O artigo examinará, em perspectiva comparada, as diferenças na abordagem do exercício do poder político
entre o realismo neoclássico e a teoria do sistema-mundo. Com esse propósito, estabelecerá um contraponto
entre as perspectivas de Hans Morgenthau e Immanuel Wallerstein. Para realizar esse objetivo, o artigo está
estruturado em três seções principais. A duas primeiras examinaram o exercício do poder nas perspectivas de
Hans Morgenthau e Immanuel Wallerstein, respectivamente. A terceira seção estabeleceu contrapontos entre
essas duas perspectivas com o propósito de ressaltar as diferenças entre elas. A comparação entre as duas
perspectivas revelou que a teoria de Hans Morgenthau sustentou a autonomia do político em relação às demais
esferas, em especial a econômica. Nesse sentido, essa teoria interessou-se pela competição pelo poder nas
relações internacionais como condição necessária para a sobrevivência dos Estados nas relações internacionais.
A teoria do sistema-mundo, formulada por Wallerstein, por sua vez, privilegiou uma interpretação do exercício
do poder a partir de sua articulação com o desenvolvimento histórico do capitalismo.

Publicado
2018-06-14