O índio na esfera cultural brasileira

  • Giselle Piragis Zogaib

Resumo

Este estudo teve como principal objetivo analisar porque motivo o índio é representado sempre como bom ou
mau, pela imprensa, e qual a intenção em significá-lo dessa forma. Inicialmente, partiu-se da hipótese de que
essa representação fosse consequência das histórias de viajantes e romances de séculos passados dos quais a
imprensa utiliza de forma consciente os conceitos estabelecidos a partir dessas representações na produção do
material informativo, reforçando conceitos culturais negativos ou positivos sobre eles, dependendo do enfoque
desejado. Para iniciar esta investigação, fez-se necessário tomar consciência desta representação e deixar de ser
apenas consumidora do produto informativo produzido pela mídia. Frente a isso, foi imprescindível a pesquisa de
campo, levando à imersão em comunidades indígenas de diferentes localidades do Brasil, mas sem a conotação de
pesquisa antropológica. Assim, buscou-se conhecer índios de diferentes etnias e comunidades para comparar as
realidades encontradas com os fatos narrados pela imprensa. A experiência mostrou-se extremamente produtiva,
pois sem ela, e apenas baseado em leituras de autores das áreas da antropologia, etnologia e sociologia, não
teria sido possível compreender que a representação dos índios atualmente é vital, tanto quanto complexa, para
que esses povos, ou seja, a caracterização como personagem os tornem visíveis para a sociedade. Com base no
referencial teórico selecionado para este estudo, incluindo a Semiótica da Cultura, compreendeu-se que o domínio
cultural recriou o índio brasileiro, já que a resistência desses povos não permitiu sua extinção cultural.

Publicado
2018-06-14