A escrita de sujeitos portadores de fissura lábio-palatina

  • Rita de Cassia Tonocchi
  • Ana Paula Berberian
  • Giselle Massi

Resumo


Pretendemos, neste artigo, analisar aspectos envolvidos na aquisição da linguagem escrita por parte de sujeitos
portadores de fissura lábio-palatina, evidenciando que embora tais sujeitos tenham alterações fonético-fonológicas,
essas não interferem em seus processos de apropriação da escrita. Para tanto, apresentamos o estudo de três
casos de crianças com fissura, a partir dos quais consideramos os dados de histórias relacionados às condições
de fala e escrita dessas crianças, bem como produções textuais das mesmas. Pautados em uma concepção de
linguagem como atividade dialógica, como trabalho constitutivo, histórico e social, a qual nos distancia de uma
noção que toma a escrita como simples representação da oralidade, pudemos perceber que as crianças-sujeitos
dessa pesquisa estão em pleno processo de aquisição da escrita, uma vez que lançam mão de estratégias textuais
e de hipóteses sobre aspectos gráficos e convencionais, próprias desse processo. Assim, entendemos ser possível
desmistificar a perspectiva de incapacidade lingüística vivenciada pelas crianças fissuradas, principalmente na
apropriação da escrita, devido a uma falsa crença de que é preciso falar bem para escrever bem.

Publicado
2018-07-05
Seção
Artigos