Estudo do diagnóstico, etiologia e (re) habilitação do deficiente auditivo em um centro da Região Sul

  • Samira Natascha Tschoeke
  • Lilian Cássia Bórnia Jacob
  • Jair Mendes Marques

Resumo


Investigar a etiologia, as características de diagnóstico e intervenção da deficiência auditiva de alunos de uma organização
não-governamental do município de Blumenau - S.C. O estudo foi realizado por intermédio de aplicação de questionário
contendo perguntas abertas e fechadas. Foram entrevistados 46 pais ou responsáveis de 50 deficientes auditivos matriculados
na Associação Blumenauense de Amigos dos Deficientes Auditivos. Os profissionais assumiram como conduta, o
encaminhamento para exames auditivos e/ou avaliação otorrinolaringológica. Nenhum indivíduo foi encaminhado para
o diagnóstico por apresentar alteração em algum procedimento de triagem auditiva. A definição do diagnóstico ocorreu,
principalmente, entre primeiro e segundo anos de vida. As etiologias apontadas foram: meningite bacteriana, rubéola
gestacional, convulsão febril, ototoxicidade, sífilis congênita e prematuridade. Ainda, número elevado esteve relacionado
com etiologia idiopática. A forma mais citada de aquisição do aparelho de amplificação sonora individual (AASI) foi pelo
Sistema Único de Saúde (SUS), com maior facilidade de acesso às faixas etárias mais jovens. Em relação ao processo de (re)
habilitação, 68% realizavam acompanhamento fonoaudiológico, sem relação às indicações da Portaria MS 587. A procura por
orientação profissional ocorre de forma lenta, aumentando o tempo para definição de condutas, conclusão do diagnóstico
e encaminhamentos necessários. Foi constatada a necessidade em realizar investigação da etiologia e medidas de controle
epidemiológico. A adoção de políticas públicas voltadas à saúde auditiva no município ainda não é efetiva.
 

Publicado
2018-07-05
Seção
Artigos