Babados e batalhas- a difícil vida fácil das profissionais do sexo em Curitiba

  • Evelyn Raquel Carvalho
  • Suzana Maria Borges

Resumo

A pesquisa teve por objetivo identificar e intervir, através de oficinas, no dia-a-dia/noite-a-noite das profissionais
do sexo (mulheres) que atuam na Capital. O contato com este grupo foi estabelecido através do Grupo
Dignidade, Organização Não Governamental atuante na área dos movimentos sociais. Foram abordadas, em
média, 115 profissionais que atuam em vários ambientes. Utilizamos questionários, entrevistas e oficinas num
enfoque sócio-educativo e tivemos como base teórica autores que discutem a prostituição feminina sob vários
ângulos. Essas mulheres têm recebido grande número de instruções referentes à prevenção de DST, porém,
muito pouco se tem feito acerca de questões como solidão, stress do trabalho, resgate da auto-estima. Acreditamos
que nosso objetivo foi atingido, pois nos momentos proporcionados através das oficinas, com esses
grupos possibilitamos-lhes uma auto-percepção, constituindo-se, nas palavras das envolvidas, como um dos
raros momentos em que genuinamente estas se permitiram pensar sobre si mesmas, acima de qualquer estigma
que lhes tenha sido impingido pela sociedade

Publicado
2018-08-07