“Seja homem” a narrativa, seja homem, e sua influência na subjetividade masculina

Resumo

Os discursos  sobre as subjetividades relacionadas  ao gênero são recorrentes na sociedade e na esfera acadêmica. Sendo impossível abarcar o todo, esta pesquisa trabalhou com um recorte de realidade. Neste momento nos debruçamos sobre o universo masculino, com o objetivo geral de compreender como a  narrativa, “seja homem”, sendo uma frase tão popularizada em diferentes meios sociais, pode produzir efeitos na  subjetividade masculina. Após a análise das coletas de dados sobre um olhar psicanalítico, as falas dos entrevistados fizeram emergir algumas categorias que nortearam a análise dos conteúdos, sendo elas: Inscrição Cultural, Ser Homem, Representação Fálica, Representação do Feminino, Divisão de Tarefas e Sexualidade. O estudo permitiu verificar, que mesmo em 2020, ainda encontramos indícios do machismo estrutural, hoje também reconhecido como algo prejudicial ao próprio homem, que se constituiu pela masculinidade tóxica. Ouvir sobre o peso que a narrativa “seja homem” e os seus desdobramentos, afeta a cada um, nos possibilitou a reflexão sobre essa condição do ser homem em nossa cultura. Conclui-se que mesmo sendo um  assunto que vem ganhando espaço e corpo nas discussões em diferentes áreas do conhecimento, percebe-se ainda que muitas vezes surge a partir de uma reivindicação feminina, que busca equidade. Existe vontade de mudança, a busca por um novo padrão de masculinidade emerge a cada conversa e a cada discussão possibilitada na sociedade, visto que muitos homens se sentem convocados a avaliar o que escutam sobre como poderiam ser, e sentem-se impulsionados a mudanças.

Biografia do Autor

Thais Tatiane Stela Beal, universidade tuiuti do paraná

Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), Curitiba, PR, Brasil. Graduanda em Psicologia pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). e-mail: thaisbeal24@gmail.com

Cláudia Silva Mário, universidade tuiuti do paraná

Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), Curitiba, PR, Brasil. Graduação em Direito - UniDomBosco (2009). e-mail: claudia.smscwb@gmail.com 

Sandra Cristine Machado Mosello, universidade tuiuti do paraná

Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), Curitiba, PR, Brasil. Mestre em Psicologia Social Comunitária pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). e-mail: scmpsico@gmail.com

Juliane Pereira Vieira, universidade tuiuti do paraná

Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), Curitiba, PR, Brasil. Graduanda em Psicologia pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). e-mail: juliane.pereira.18@hotmail.com

Rosilene Monteiro da Silva, universidade tuiuti do paraná

Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), Curitiba, PR, Brasil. Graduação em Administração pelo Centro Universitário Internacional, UNINTER, Brasil. e-mail: rosilenefinasa@hotmail.com

Publicado
2021-07-01