A identidade profissional dos psicólogos da Estratégia de Saúde da Família

  • Maria Sara de Lima Dias
  • Karen Martins Pinheiro

Resumo

Este artigo é parte da dissertação de mestrado de uma das autoras que tem como objetivo investigar a identidade
pessoal e profissional dos psicólogos na Estratégia da Saúde da Família (ESF) em Unidades de Saúde (UBS)
na região metropolitana de Curitiba. A postura teórica é embasada na psicologia social comunitária, o método
de coleta de dados foi a entrevista semiestruturada realizada com seis psicólogos, cada um pertencente a uma
região da cidade estudada. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo cuja categoria de análise eleita foi a
identidade dos psicólogos na Estratégia da Saúde de Família. Discutem-se as dificuldades do exercício profissional
na ESF e suas implicações na identidade dos psicólogos. A identidade pessoal dos entrevistados afirma-se
através de adjetivos qualificantes como: ser realista, determinada, tranquila, questionadora, intelectual, burra,
dedicada, responsável, bem-humorada e tímida. As atividades comunitárias desenvolvidas pelos profissionais
são influenciadas pela imagem que fazem deles mesmos, ou seja, a ação do sujeito é permeada pela identidade
pessoal e profissional que faz de si. Conclui-se sobre a urgência de uma formação adequada dos psicólogos
para atuar nas políticas públicas; e mais especificamente a relevância do debate sobre o papel que o psicólogo
tem e pode vir a ter na ESF, uma vez que a identidade se concretiza na atividade social e na sua articulação
entre diferentes contextos de trabalho, ou seja, a identidade é constituída e se constitui na história pessoal e
social do psicólogo.