Caracterização de pacientes e dos distúrbios de comunicação associados às patologias da tireoide

  • Marilu Rita Villa Koga
  • Vânia Muniz Néquer Soares
  • Adriana Bender Moreira de Lacerda

Resumo

Objetivo: Caracterizar os pacientes com indicação de tireoidectomia e dos distúrbios de comunicação associados às patologias da tireoide, em um serviço de referência do SUS. Método: Estudo quantitativo e descritivo. Participaram do estudo 48 usuários com indicação de cirurgia da tireoide, em um hospital público e de ensino do município de Curitiba-PR. Para coleta de dados, utilizou-se questionário semi-estruturado, aplicado na consulta de enfermagem pré-cirúrgica com questões sobre perfil sociodemográfico, de saúde, presença de distúrbios da comunicação e sua influência nas condições de vida dos pacientes com patologias da tireoide. Resultados: Os pacientes tinham em média 51 anos de idade, com predominância do sexo feminino (95,8%) e raça branca (66,7%), com baixa escolaridade e baixa renda familiar. O principal diagnóstico, o bócio multinodular atóxico (35,4%), sendo a neoplasia mais frequente da tireoide, o carcinoma papilar (6,3%). Os sinais e sintomas mais frequentes foram: nódulo ou caroço no pescoço (78,13%), dificuldades com a deglutição (56,25%), alterações vocais (40,63%) e falta de ar (34,38%). Os usuários referiram que a patologia acarreta limitações no trabalho e nos seus afazeres. O maior tempo de espera foi para o acesso à cirurgia. Conclusão: O estudo apontou que os pacientes, com patologias da tireoide e com indicação de tireoidectomia, apresentavam longa evolução da doença, dificuldade de acesso ao tratamento precoce, alta incidência de disfagia e alterações da voz, com impacto sobre sua qualidade de vida.