Biblioteca escolar como espaço de letramento

  • Andrea Jully Enjiu
  • Ana Paula Berberian Vieira da Silva
  • Daniel Vieira da Silva
  • Ana Cristina Guarinello
  • Luciana Branco Carnevalle

Resumo

Objetivo: Neste artigo pretendemos discorrer sobre como o trabalho com biblioteca vem sendo instituído por um grupo de
professores da região metropolitana de Curitiba. Método: Participaram desta pesquisa 56 professores do ensino fundamental
da rede municipal (1º ao 5º ano), atuantes em 6 escolas que possuíam uma biblioteca em seu contexto, sendo estas 3 rurais e
3 centrais, localizadas no município de Piraquara, região metropolitana de Curitiba. Como instrumento de coleta, foi utilizado
um questionário que aborda a caracterização dos sujeitos e a visão dos professores com relação ao uso da biblioteca escolar. Os
dados obtidos foram interpretados por meio da análise de conteúdo. Resultados: Dentre os resultados obtidos, chama atenção o
fato de dentre os 56 pesquisados somente 15, 27%, relataram desenvolver práticas de leitura envolvendo esse espaço, embora,
100% considere que deve existir uma biblioteca no contexto escolar. Entre os motivos apresentados para justificar o não uso da
biblioteca, destacam-se a presença de um profissional responsável (10%), limitações imposta pela equipe diretiva (8%), espaço
inadequado (7%) e não considera necessário (5%). Conclusão: Torna-se possível conferir a existência de relativos avanços no que
diz respeito à temática da biblioteca no contexto escolar. Contudo, cabe indagarmos porque a mesma ainda não se configura,
nacionalmente, como espaço que promove o letramento bem como, a sua presença no contexto escolar ainda não é uma
realidade em muitas escolas brasileiras. Dentre as ações que podem contribuir para uma mudança nesse quadro, ressaltamos o
compromisso do fonoaudiólogo inserido no contexto educacional, com o objetivo de estabelecer parcerias colaborativas que
contribuam para a constituição de bibliotecas escolares que cumpram com as orientações contidas nos documentos oficiais,
viabilizando assim, o acesso e a apropriação da linguagem oral e escrita por parte da população brasileira.