Atividades grupais com a linguagem no envelhecer

  • Ana Paula Reimann
  • Giselle Massi

Resumo

O aumento rápido e continuo da longevidade humana vem convocando a sociedade a rever seus projetos
socioeconômicos, políticos, culturais e científicos. Nesse contento, tendo em vista que o envelhecimento ativo depende
da efetiva inserção dos sujeitos que envelhecem em espaços sociais, entendemos que a fonoaudiologia pode contribuir
com a execução de atividades e de pesquisas que ressaltem o estabelecimento de trocas permanentes entre os idosos
e seus respectivos grupos sociais. Assim, a presente pesquisa objetiva verificar o papel que as práticas mediadas pelas
modalidades oral e escrita da linguagem assumem para um grupo de idosos com mais de 60 anos, frequentadores
da Oficina da Linguagem oferecida na Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho. Trata-se de uma pesquisa qualitativa
organizada a partir de produções discursivas elaboradas pelos integrantes idosos do referido grupo sobre os sentidos
que atribuem ao trabalho que realizaram com as modalidades oral e escrita da linguagem. Os resultados indicam que
atividades significativas com a oralidade, com a leitura e com a escrita proporciono-lhes mais confiança e liberdade
para falar, ler e escrever. Eles afirmaram que desenvolveram auto-estima e respeito próprio, passando a encarar o
envelhecer de forma mais positiva. Nesse sentido, entendemos que políticas públicas comprometidas com a inserção
dos sujeitos idosos na sociedade atual, incentivem ações que, privilegiando atividades com a linguagem, sejam capazes
de promover um envelhecimento ativo e, portanto, com integração social.