Caracterização dos pacientes com perda auditiva atendidos no serviço de fonoaudiologia de uma universidade em Curitiba – PR

  • Mônica Porto Lopes
  • Ana Cristina Guarinello
  • Giselle Massi
  • Ana Paula Berberian
  • Jessyca Soares Lula Pacholek

Resumo

Este estudo teve como objetivo investigar o perfil das crianças surdas que frequentam a clínica de Fonoaudiologia da
Universidade Tuiuti do Paraná, de março de 2009 a novembro de 2012. O levantamento da amostra foi realizado a partir
da coleta e análise de dados contidos em protocolos de pacientes com algum grau de perda auditiva, obtendo as variáveis:
ano de atendimento (avaliação), faixa etária, gênero, encaminhamento, procedência, acompanhantes, queixa, parecer
fonoaudiológico, grau da perda, idade do diagnóstico, idade que recebeu o AASI, início do atendimento fonoaudiológico,
motivo do desligamento e pacientes que estão em atendimento. A queixa mais incidente é perda auditiva, o parecer
fonoaudiológico mais freqüente é atraso no desenvolvimento da linguagem oral devido à perda auditiva. Quanto a idade
do diagnóstico, 23 foram diagnosticados entre 1 e 3 anos de idade, 4 entre 1 e 11 meses de idade, 3 entre 4 e 10 anos e
3 acima de 4 anos. Com relação ao grau de perda, 13 apresentam perda profunda, 10 perda moderada, 7 perda leve e
3 perda severa. Não houve predominância de sexos, a idade média encontrada foi aproximadamente de 4 anos e meio,
a maioria dos pacientes são procedentes de Curitiba e todos vêm acompanhados por familiares e são encaminhados
por profissionais da área da saúde e pela escola. O parecer fonoaudiológico constatou que aproximadamente 50% dos
pacientes apresentam um atraso no desenvolvimento da linguagem oral devido à perda auditiva.