O Bom professor universitário de Ciências Biológicas sob a ótica de seus alunos: um apoio quantitativo

Resumo

No Brasil, professores de alta qualidade são comumente denominados bons professores e sua composição é marcada pelo contexto sócio-histórico-cultural, portanto, modifica-se. O objetivo deste trabalho é identificar as características de um bom professor universitário para sessenta alunos de Licenciatura em Ciências Biológicas. Trata-se de uma pesquisa quantitativa a partir da aplicação de um questionário em escala Likert. Para análise utilizou-se o cálculo do Ranking Médio. Os resultados indicaram alto grau de concordância com: saber transmitir o conteúdo (4,9); dominar o conteúdo (4,7); contextualizar as aulas (4,7); aprender com seus alunos (4,6); desenvolver autonomia (4,6); relacionar-se bem com seus alunos (4,5); incentivar a pesquisa (4,5) e ser exemplo (4,3). Não concordaram e nem discordaram quanto a abrir exceções (3) e discordaram sobre reprovar muitos alunos (1,7) e não reprovar os alunos (1,5). O pensamento do complexo de Edgar Morin serviu de base para compreensão dos resultados. Considerou-se importante repensar a formação dos formadores de professores de tal modo que se possibilite uma reforma no modo do pensamento e da universidade dirigindo-se a caminho do pensar no contexto e no complexo aproximando-se assim do modelo do bom professor exposto pelos estudantes.

Biografia do Autor

Leandro Barreto Dutra, Universidade do Estado do Amazonas

Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, AM, Brasil. Doutor em Educação em Ciências e Matemática pela UFMT. email: ldutra@uea.edu.br

Elizabeth Antonia Leonel de Moraes Martines, Universidade Federal de Rondônia

Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, RO, Brasil. Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela USP. e-mail: bethmartines@gmail.com

Publicado
2021-12-17